Gerando Falcões trabalha oferecendo educação para cultura, esporte e qualificação profissional para pessoas que moram na comunidade de Poá

Mãe de Eduardo Lyra foi inspiração para que ele criasse o Gerando Falcões e organizasse ação social na comunidade
Divulgação
Mãe de Eduardo Lyra foi inspiração para que ele criasse o Gerando Falcões e organizasse ação social na comunidade

Eduardo Lyra viveu a infância dentro de um barraco, numa favela em Guarulhos, São Paulo. O pai ingressou no crime e foi parar na prisão. A história do convidado dessa semana do Pra Frente Sempre poderia ter um final triste como a maioria dos jovens da periferia, mas virou um exemplo de ação social que transformou a comunidade de Poá.

Leia também: Banheira terapêutica para bebês proporciona experiência relaxante no banho

“Vivia em um barraco que não tinha um chão de cimento, era batido de terra. Meus pais não tinham dinheiro para comprar um berço e eu dormia em uma banheira. Meu pai, até pelas circunstâncias que vivíamos, acabou ingressando no crime e foi preso. Então, eu cresci visitando meu pai dentro de presídio”, recorda Lyra sobre as motivações para pensar em fazer ação social .

O contraponto da história que o inspirou a sonhar foi a sua mãe. “Querer dar uma casa melhor para minha mãe, me levou a criar o Gerando Falcões, a fazer faculdade, escrever um livro. Ela sempre dizia: não importa da onde você vem, mas para onde você vai. Eu precisava dar uma resposta a sociedade”, diz.

Leia também: Com base na economia compartilhada, startup simplifica doações a entidades

O primeiro passo foi viajar pelo Brasil e colher histórias inspiradoras para produzir um livro. A obra chamada Jovens Falcões traz 14 histórias reais de jovens brasileiros que do nada chegaram a tudo. “A primeira versão foi produzida de forma independente. De volta a comunidade, montei um comitê com cinquenta jovens e começamos a vender os livros de porta em porta. Peguei a grana do livro e resolvi fazer um projeto social”, lembra. Surgia o Gerando Falcões.

“O Gerando Falcões trabalha com educação para cultura, esporte e qualificação profissional. Atendemos 1500 moradores da comunidade, em Poá. Criamos, por exemplo, um espaço chamado Disney Periferia onde as crianças têm aula de pintura, coral, futsal, tênis, teatro, percussão, programação, tudo gratuito. Queremos replicar essas ações sociais em outras comunidades”, explica.

Leia também: Instituto Via de Acesso facilita inserção de jovens no mercado de trabalho

O Gerando Falcões conta hoje com o apoio de importantes empresas como Motorola, Microsoft, São Judas, Oracle. “Geramos mais de 40 postos de trabalho, sendo que 98% deles são ocupados por moradores da própria comunidade. Tiramos as pessoas do crime e colocamos no mercado de trabalho”, comemora o idealizador da ação social.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.